Elogio a Instituição do Cinismo

Quem grita a maior verdade na era do espetáculo superficial? Os indivíduos são bolhas e existe uma eterna crença no infinito do agora, que se corrói por trás do festim cívico. O fazer já se esfarela sem sentido na lógica entregue pelas vias normais, o prazer se enrijece nas normas que endireitam e estrangulam. 
Como perfeito remédio instaurado, surge o Cinismo como lubrificante oficial dos tempo superficiais, onde se torna um sentimento sólido, uma edificação, onde os indivíduos bolhas transitam, habitam, se isolam/comungam. 

Por isso como grupo vivo e ativo e parte da atual condição de sobrevivência/resistência nos unimos a outro ente querido Bonifrate, herói desbravador dos sons de Paraty e lançamos esse Elogio a Instituição do Cinismo, um agradecimento do íntimo coletivo aos podres ares do viver/morrer atuais.

Atenciosamente,

Benke, Dinho, Raphael, Ynaiã, Boogarins associados a Pedro Bonifrate, Supercordas.

---